12 fevereiro 2007

 

BRINCAR É... , EU PRECISO.


Comecei a semana pensando em brincar com as formigas. Tenho uma leve curiosidade de saber o tamanho de suas forças. Quase consegui acompanhar uma ontem. Não fui tão rápido assim. Habituei-me a brincar com coisas simples porque nunca me alertaram que é nelas que residem certos mistérios. Deu-me vontade outro dia de brincar com rãs. Isso mesmo, rãs. Essa vontade me deu ao passar por um esgoto onde havia um bocado delas cantando. Não sabia que música, ou tom.

Descobri certas verdades que se escondem nas brincadeiras. Verdades discretas. Acho que quando o homem perde o hábito e aquele entusiasmo que só as crianças têm para brincar com as coisas, o indivíduo já se pode considerar dentro de um processo patológico. A sisudez adoece o homem. Há um tempo atrás, na falta de alguém com quem brincar, eu brincava com o vento. Polícia e ladrão. Esconde-esconde. Amarelinha. Qualquer coisa que desse sentido à cumplicidade lúdica entre nós. Ao poucos venho percebendo uma mudança. Ultimamente o vento tem passado por mim sem dizer nada.

Hoje choveu. A tarde toda. Pedi para brincar com a chuva. E ela ficou quieta. Só me respondeu com chuva. Chovendo. Fuzilou meu corpo, deu cambalhotas, sorriu. Banhou-me sem me dizer nada. Fiquei acuado rente a um poste, ladeado por poças que brincavam de virar espelhos para o céu. A chuva só brincou com o chão e os telhados, fazendo barulho. Depois, foi-se, ainda sem nada me dizer. Em vista disto, não sei mais do que brincar hoje à noite. Talvez brinque sozinho mesmo. Ou até mesmo com o meu coração. Não sei. Talvez brinque com o coração dos outros. Não emprestarei o meu. É ruim quando os outros brincam com o nosso coração.

Comments:
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
 
EXCLUI ESSE, SAFADO
 
Olá, Wagner.
Vim agradecer a visita e o comentário. Vejo que também gostas de escrever, seja sempre bem-vindo lá ;)
Ah, te respondi no Ás também :)
Beijos
 
Olá,
Obrigada pela visita...
Volte sempre... Tb retornarei ao teu blog, pois vi que escreves muito bem e gosto de quem gosta de escrever e sabe fazê-lo.
Bs,
 
oi wagner!!obrigada por sua visita ao meu blog, e pelos elogios!!adorei o texto acima, foi vc quem escreveu? também escrevo de vez em quando.espero que visite mais vezes meu blog!! voltarei mais vezes!bjs!
 
É verdade, Wagner: quanto mais simples, mais fascinantes são as coisas. Especialmente aquelas às quais a maior parte das pessoas não atribui significado ou valor algum. Feliz de quem sabe identificá-las.

Obrigada pela visita, apareça sempre que quiser. Também gostei muito daqui.

Grande abraço.
 
Wagner, querida, que delícia de texto!!!! Texto fluido........... Obrigada, meeeeesmo, por me achar nesse mar de blogs! Voltarei aqui mais vezes :O)

beijos,

MM

ps: também acho péé´ssimo quando brincam com nosso coração e óh, Láááá no século passado Freud descobriu que toda brincadeira, afinal, tem um um fundo de verdade, rs*
 
Bom os textos... na verdade intrigantes.
Abrçs.
Jefferson p.
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?