18 junho 2009

 

Dos medos de quem escreve

O primeiro medo de quem escreve é sempre o último ponto. Final. Creio. Pois, a aventura de escrever é algo que nos acompanha desde a primeira linha, ou verso, e vai até o sinal de pontuação (se houver) da última palavra. Terminar um texto é parir um pouco da gente. É sempre uma gestação um pouco conturbada a da arte da escrita. Num primeiro momento, escrevemos pela necessidade do prazer, da excitação desejada. Depois, ao fim do que foi escrito, vamos limpar todo espermatozóide que ficou sobre a superfície das palavras. Fazemos então uma assepsia verbal.

É infinitamente mais difícil assumir o término de um texto do que propriamente assumir que o texto está em fase de composição. Principalmente se for um texto literário, que, por sua própria natureza, nunca está encerrado em si. Quem não tem medo do que o outro vai pensar sobre o que você escreveu? Quem nunca temeu um comentário desastroso sobre sua escrita? E é aí onde mora a magia da escrita: esperar a posição do outro diante de você, diante dos efeitos do que seu texto causou. Escrever, em última estância, é uma afronta ao outro. É permitir que as suas palavras se tornem espelhos.

Quando se termina um texto dá-se um “adeus” ao lado escuro da alma. E é justamente aí onde mora o medo do ser humano: ser revelado, conhecer-se. E isso é uma das funções da Literatura: revelar o homem, servindo de suporte para que ele próprio se conheça a partir de uma realidade criada. Assim, o término de um texto é sempre um “o que quis dizer com isso?” Entretanto, o ponto final é sempre o começo de uma nova história. Ouso dizer que a vida só começa quando a escrita esconde o ponto final. Ponto.

Comments:
sabe que....

sempre fico tentando, fazer do texto, algo que se entenda o que eu quis dizer com aquilo...
ao mesmo tempo........ é uma exercicio tentar deixar isto explicito...

vou tentar fazer isto no proximo....
e no outro..
outro..



e outros filhos vão nascendo...
 
Você me lembrou o Paulo Honório, personagem de São Bernardo. Aos 56 anos resolve escrever um livro que possa exorcizar seus demônios. Um romance que o ajude a se perdoar por haver provocado o suicídio de Madalena.
Acho que não existe uma formula que explique porque alguém resolve escrever. Vai da mais completa insensatez a "uma vontade absurda de ser Cristo para sacrificar-se pelos homens". O problema é que às vezes o autor se reconhece como Cristo quando não passa de um cretino que adora o som da própria voz.
 
Precisei disso. Tenho muito medo de tudo o que escrevo.
 
Gostei disso que vc disse.
E ouso dizer queé sempre mais difícil escrever, quando a gente sabe que as outras pessoas vão ler.
hehe
 
meus alunos vivem me pedindo um ponto.
 
todo mundo tem medo de ser humano,os humanos me assombram.
 
De acordo até depois do ponto final, afinal, depois do ponto a gte solta o filho pro mundo...
 
Escrever é mesmo dificil, mas todos nos superamos...

depois passa no Palavras Cruzadas e comente meus escritos =D
abraço
boa semana
 
Puxa, também tenho pensado bastante nisso de um ponto final...
Cara, desculpa a chateação, mas me escreve (nandodijesus@gmail.com)...
Abraço saudoso.
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?