21 dezembro 2008

 



Para quê perder o costume no Natal?


Primeiramente, tenho que confessar ao leitor que sempre para mim é a mais difícil. Incondicionalmente. Falo da última crônica de todo ano, quando escrevo um texto sobre o Natal para este blog. É que neste mês sempre sou acometido por sucessivas indagações, do tipo: “o que passou?” ou “o que ficou?” ou, ainda, “o que consegui/mos?” – no transcurso de mais um ano que finda. Isto porque me vem à consciência a percepção de que no mês natalino sempre conseguimos ver as luzes do natal, mas nunca conseguimos ver as trevas nos olhos dos meninos de rua; conseguimos arrotar de tanta fartura nas festinhas em família, mas nunca buscamos matar a fome dos desvalidos que dormem nas calçadas; conseguimos olhar para cima, até a última luz do pisca-pisca da árvore natalina mais alta da cidade, mas nunca conseguimos olhar para quem está em baixo dela; conseguimos esquentar nossos corpos com a roupa nova que compramos, mas nunca nos preocupamos em vestir quem anda com seus trajes rotos; conseguimos dá um abraço naquele(a) nosso(a) insuportável colega de trabalho, mas nunca conseguimos dá um sorriso para quem vive triste e abandonado num orfanato ou asilo.

Nós, brasileiros, somos acostumados com a nossa arraigada crise de conformismo. Lógico que isto é o ano inteiro, não poderia ser diferente no último mês do ano. Já estamos acostumados com os desequilíbrios sociais que dormem ao nosso lado. Já estamos acostumados a ver o dinheiro dos impostos que pagamos descer de ralo abaixo. Nos acostumamos com a violência batendo em nossa porta. Nos acostumamos às notícias de corrupção na política durante todo o ano. Já nos acostumamos a pensar que o 13º salário vai resolver as dívidas que acumulamos o ano inteiro. É costume nosso sentir o cheiro de peru que vem da casa do vizinho provocar nossas narinas, que faz com que imediatamente a gente vá à frente de nossa casa esperá-lo sair e aí é a oportunidade de dá um “boa tarde” com os olhos de “me dá um pedaço de teu peru assado”. Já é costume nosso sofrer o ano inteiro e dormir bêbados no natal e no reveillon. Já nos acostumamos abraçar toda a vizinhança, quando às vezes quem mais precisa desses abraços são “os de casa”. É nosso costume participar de “amigo secreto” quando o que está por trás dele é a falsidade revelada. Já nos acostumamos...

É isso. A gente se conforma e se acostuma. Se acostuma e se conforma. Nossa brasilidade não nos confunde com nenhuma outra nacionalidade. Somos brasileiros coesos em matéria de comemorações em festas natalinas e de fim de ano. Somos um povo tão fiel à nossa falta de originalidade que em pleno calor de verão no Brasil, copiamos o “Noel” americano e fingimos viver o inverno europeu. Para quê se preocupar? Somos um povo bravo. Um povo que adora copiar para o trabalho de criação não nos causar enfado. É isso. Aprendemos bem. Nós sabemos impecavelmente dá um “Feliz Natal”. Aqui no Brasil todos sabem que o correto é desejar um “Merry Christmas”. Já estamos acostumados. Para quê perder o costume? A gente vive bem assim. Não perderemos o costume nunca. Não nos preocupemos, já estamos conformados.

Comments:
E os inconformados vivem mal, são visto com assombro, como loucos, como radicais!
Cada um escolhe seu lado da corde e vive as consequências!Um saco esse lance de tudo fica bonito no Natal!
;P
Bj e gostei do texto
 
PRIMO...
Agora vc mim fez esqucer de mim e pensar mas no próximo.
Obrigado.
Bjinhos no coração.
Aninha.
 
[b][i]Sim, e daí? Nos acostumamos a escrever sobre a miséria do povo brasileiro e só ficamos no ato de escrever. Tentando com a escrita fazer o mundo mudar, mas o mundo precisa mesmo são de mãos. de ações. é muito fácil escrever um texto sobre os pobres que não comem peru de natal. Fácil falar da falta de originalidade de nosso povo. Escrever sobre a fome é muito comodo meu escritor. Compre um frango e dê de presente a um faminto. mas você pode dizer que com a sua escrita pode tocar um coração e o fazer mudar. pois tomrara. tomara que num país de analfabetos, um texto obre o milagre de um coração empedrecido.

abração meu amigo de Mafuanças.[/i][/b]
 
querido,

hoje passo somente para deixar um beijo de natal com perfume de rabanada e desejo de um "dois mil e love" repleto de gratas surpresas :o)

Beijos,

MM.
 
O crocodilo gostou deste blog.
 
então... bom natal pra nós! beijosss
 
Um dos motivos que não gosto do Natal é isso, pessoas passam fome, frio o ano todo, mas no natal uma onda de solidariedade invade a humanidade, hipocresia!

beijos e bom natal pra vc
 
Wagner

Soprei para começar a escrever. A cabeça está quente. Faz tum, tum, tum...

Se duvidava que Papai Noel existe, agora já não duvido, mesmo que seja movido por asinhas de anjos e não de renas, mesmo que tenha dado um empurrãozinho para você aparecer no blog justo hoje. Então é Natal....e dos bons, sinal que terei muito Natais durante o próximo ano.

Pernambucano, inteligente, e que me fez pensar e concordar com sua crônica, mesmo que eu ainda não faça diferente. Tudo de bom, tudo que gosto.

Muito obrigada por essa oportunidade, por esse presente.

Que o verdadeiro espírito de Natal esteja em nossos corações, hoje e sempre.
Desejo, paz, saúde, amor, serenidade, discernimento, harmonia....o resto corremos atrás.

Abraços fraternos
 
Bom... Acredite se quiser, mas em dois empregos, sendo um devidamente fichado, eu NUNCA recebi um 13º! Portanto, planejamento para pagamento de dívidas só Jah!kkkkkkkk... Não tenho peso na consciência quanto ao que faço enquanto cidadão no exercício profissional e nem no âmbito pessoal pelos outros menos abastados do que o que tenho, mesmo que eu tenha pouco. Não. Tenho peso na consciência é o ano inteiro do que podíamos fazer de melhor pela cidade, estado, país, mundo onde vivemos!

Mas, tento relaxar porque EU PRECISO VIVER, também!!! (;

Então, comemoro o Natal como qualquer outra festa. Como um aniversário meu, ou, de alguém querido. Ou, como uma farrinha entre amigos e pessoas queridas pra descontrair a Lida. Só.

Há muito descobri que Natal não tem nada de comerciais-de-coca-cola! Nhá! Mas não perco a festa!!! [risos]

Na MINHA OPINIÃO, a gente deve ser centrado é no nosso posicionamento diante da Vida todos os dias que estivermos nela.

E que se abram as asas, se soltem as feras e se caia na gandanha ao menos pra sentirmos que somos humanos e merecemos isso!

Se Salomão disse que se deve fazer isso e fazia com toda sapiência da Divindade que tinha (vide Eclesiástes)... Então, a gente deve fazer, também! E PRECISA, ué!!!

E olha que nem me considero ligada a qualquer religião! (;

Beijos e obrigada pela gentil visita!
 
Espero, ansiosamente espero,
que o Natal que nos brinda revele-se melhor do que o que se passou.
tééééééééééédio.

feliz natal, baby. (:
 
Esse foi , sem puxa saquismo , o melhor post natalino que li até agora Wagner.

E parece que muitos nem se dão ao trabalho de ler ...é mais fácil repetir o já comum.
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?