15 agosto 2008

 
na foto: o educador Paulo Freire

DOS DIREITOS DO LEITOR

“A leitura de mundo precede a leitura da palavra”. Com esta teoria, Paulo Freire revolucionou o pensamento moderno sobre questões voltadas para o trato com a leitura e com a alfabetização. Pois bem, Freire pregava que não há como, por exemplo, saber o que significa uma cadeira se antes o objeto não for apresentado, e daí em diante fazer com que este próprio objeto faça parte de uma convenção social. Ou seja, daí ficaria estabelecido que cadeira deveria ser algo que servisse de assento para uma pessoa e que tivesse “quatro pernas”, enfim... Porém, a idéia do autor de Pedagogia de Autonomia é que a palavra só ganha sentido depois de conhecido o objeto sobre o qual se fala. Portanto, todos lemos antes mesmo de termos uma prévia concepção da carga semântica que as palavras trazem. É uma prática a qual, inexoravelmente, todos fazemos. Mesmo quando não queremos. Por outro lado, a leitura da palavra é arbitrária. Quem nunca ouviu uma ou outra pessoa dizer “não quero ler este livro”, “não gosto de ler jornal”. Apesar de se esquivarem da leitura da palavra, não tendo consciência de que é através dela que as coisas ganham significado, as pessoas – a todo momento – vivem numa ponte de mão dupla com a palavra e com o mundo. Assim, o leitor tem direito a optar pelo seu modo de leitura, segundo suas próprias convicções. Inclusive a convicção de não se sentir leitor. Ultimamente, lendo o livro Como um Romance, do escritor francês Daniel Pennac, achei interessante, e ao mesmo tempo polêmica, a lista que este escritor traça sobre alguns direitos imprescindíveis do leitor. São estes: o direito de não ler, o direito de pular páginas, o direito de não terminar um livro, o direito de reler, o direito de ler qualquer coisa, o direito ao bovarismo (doença textualmente transmissível), o direito de ler em qualquer lugar, o direito de ler uma frase aqui e outra ali, o direito de ler em voz alta e o direito de calar. Mesmo diante disso, sou do time dos que pensam que, mesmo não lendo, estamos lendo. Lemos o tempo todo. Ininterruptamente. A palavra e o mundo precedem o homem. Somos apenas a continuidade do verbo que se torna objeto. Indistintamente.





Comments:
Aii a leitura é tão boa1
hahaha
eu amo ler amo mesmo. eu leio de tudo!
As vezes eu leio até as faixas penduradas quando não tenho nenhum livro em mãos!

PARA DE ME ASSUSTAR HAHA NÃO TEM NENHUM BARULHO NÃO TÁ!
 
Bom demais, Wagner. Só lamento que haja mais gente no mundo que não goste de ler e tão pouco escrever. Gostei mesmo das suas idéias. Posso utilizar esse texto no Projeto de Direitos Humanos? Bjos. Graça Graúna
 
Olá Primo.
Ler é é embarcar em grandes viagem...
Amei: "Viver, antes de mais nada, é sempre um preencher a parte que nos é vazia".(Wagner Marques)
Bjinho no coração.
Aninha.
 
Estamos sempre lendo mesmo, não tem como fugir das palavras...


:*
 
Ler sempre é muito bom...seja o que for.
Bjs
 
Ol� obrigada pela visita no meu blog, seja sempre bem vindo!
Tb estudei um pouco de Paulo Freire...
Achei seu blog interessante!
At�
 
Ecxelente texto! Muibom mesmo... e admiro demais Paulo Freire.

Fico grato pela sua visita, cara! Abraços!
 
Eu leio mesmo o tempo todo.... mas pular páginas deixa sem sentido o que está por vir, então se eu for pular, já não termino o que estou lendo.
 
Ola Wagner, gosto muito de Freire, melhor dizendo, o acho fantástico. Sou arte-educadora em Minas e pesquisando um pouco mais sobre a tão famosa citação que deu título a sua postagem, cheguei ao seu blog.Gostei das suas interpretações e compartilho com suas ideías. Como artista plástica a imagem é algo que impulsiona minhas pesquisas... gosto da forma como podemos relacionar a citação de Freire sobre a leitura do mundo com a forma como percebemos e nos relacionamos com as imagens. Vc "lê" um õnibus, uma placa, uma bola... ao classificar como redendo, verde, grande, azul, roxo, antes é necessário viver a imagem no momento exato em q ela acontece... viver a imagem, em grande parte do tpo de forma inconciente,nos leva a decodificação da forma e por conseguinte a leitura do mundo! Gosto quando diz "lemos o tempo todo"...e só para completar a idéia de uma das pessoas q postou algo a cima sobre deixar de ler algumas páginas: até mesmo o ato de pular página é uma leitura, é necessaio um conhecimento a priore,e da imagem de se passar as paginas, para entder como faze-lo...rsrs, ou seja vc lê o ato de pular páginas e o concretiza.Qunto a fazer sentido, penso q isso seja assunto para uma nova postagem!!
Sujiro "A poética do Espaço" por Gaston Bachelard.
 
Desculpe, esqueci de assinar o comentário cujo nome de referência aparece como Divulgação.

Sou Cris Braga.
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?