13 dezembro 2007

 

IMOLAÇÃO DOS OSSOS (Romance)
Capítulo 3


Desdigo. Invento calos. Dilato-me. Ardo. Meu instante me fere. Que é o instante, pergunto? Respondo. Paro. Instante é a ausência de respostas. Linha que divide a vida em pólos. É também um pouco da palavra “sombra”. Um pouco de giz que o sol entrecorta.

Exagero.
Me dispo.
Me corto.

Ouço. Não é música. É um corpo que entra em meus ouvidos e se debate, como uma palavra mal escrita. Porque toda palavra mal escrita tem um tanto de vida que desperta convulsões. Escrevo porque o que fica escrito não me convence. Porque fico convencido de que nunca alcanço o que me foge nas entrelinhas. Perco o que não disse. Assumo o que me condena. Separo. G o t a s. Que v ã o c a i n d o. puras. Fixo a dor do que suporta o amor. Que pesa. E treme.

Estremeço.

Sou todo pés. Que giram. Quem mais que os pés testemunha o giro do corpo. Quem mais que o corpo é capaz de guiar os pés. Os pés me falam. Ou eu os falo. Ouço-os. O que digo é o que fica no silêncio. Na curva do trilho enferrujado. Na paz que compro. Sou um pouquinho de ti na curva de teus dedos. Na tua boca de criança. Tomo: entrego. Não exijo nada, a não ser teus calos e a frescura leve do que lateja em teu tornozelo.

Aconteço-me: como a ninguém.

Comments:
Caro Wagner,agradecido pela visita, vim retribuí-la, e fiquei muito satisfeito com o que li aqui. Machado, meu escritor favorito (juntamente com o velho Graciliano), autor de clássicos da nossa literatura; seus trechos próprios são instigantes, todos eles com um duplo sentido(ou seria um mistério para ser lido nas entrelinhas?)...
No momento não posso me estender muito, pois sou comerciário e estou em meio a habitual exploração comercial do nascimento de Jesus, mas prometo retornar em breve para entabularmos uma boa prosa, quem sabe verso, sobre literatura e afins. Por hora, deixo o link do meu site para que vc me visite e conheça os meus escritos: http://recantodasletras.uol.com.br/autores/frodooliveira
Recomendo: 'Oração do letrado' e 'Entrelinhas'. E isso é só o início.
Grande abraço, professor!
 
Cara, isso é quase uma grande obra. seria se a coisa não fosse taõ invergada.

tá quase bom de verdade. Deixa essa coisa adolescente de não entender o mundo. deixa essa revolta contra o mundo.

Deixe a demasia e ficara muito bom.

abração
 
muito bom o ritmo do texto!

beijos, dear

MM.
 
ñ é q d tanto a gente procurar encontra pares?
hahhhha
moro em garanhuns tb, há três anos.... mas isso é outra história.
qem chega a imolar os osssos jah passou pela pele, pelas vísceras, q ñ sobrou mais nada señ a essência mais dura... por eqto, estamos no velório dos ossos? qem vai enterrar? essa q ñ mencionamos (*)? sei lá, viagei.. hahaha como vc disse, estamos imersos nas nossas curiosidades.... então, q venham mais capítulos!!!!!!!!!!
bjo.!
 
querido, estou passando, hoje, para deixar meu beijo de fim de ano e dizer que desejo os melhores aromas, amoras, amores, brilho e brisa para o ano que está para acontecer.

até,

MM.
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?