04 julho 2007

 



OS CHÃOS E AS MANEIRAS DE ESCAVAR


...às vezes tenho essa necessidade de encontrar chãos dentro de mim. Chãos, isso mesmo – no plural. Chãos. Desacredito que o ser humano tenha um apenas. Cada uma de nós, por viver imerso em nossas próprias agonias, sente a necessidade de escavar essa crosta inóspita que se chama Alma. Mas não que eu procure em mim o que desconheço. Procuro em mim o que sei que tenho, mesmo sem saber que tenho coisas que perco no momento em que encontro. Daí então é que surge essa agreste necessidade de ralar meu corpo na superfície de mim mesmo, até o solo ralo acusar que os chãos são poucos frente à singularidade que é desfeita diante do que escavo e movo. Descubro poucos chãos em mim. Chãos que sequer cedem suas peles ao orifício de um alicerce ou um encosto. Os chãos em mim nem ao menos cospem poeira – chuva de terra em pó. ...o chãos que planifico não dão espaço às paredes, não revelam tetos, não acolhem portas, janelas; encerram-se apenas em si mesmos, como se cada medida de suas estreitezas findasse qualquer possibilidade de alargar terrenos irregulares.

Brotam em mim chãos como se fossem céus desabando. Contudo, não tenho certeza de que as vibrações desses chãos que encontro são terremotos que acordam ou mesmo são vulcões que dormem. Pois, em cada sono do tremor que me surge, percebo o cochilo atribulado do que desperta os meus desejos mais incofessáveis. Meus desejos são poucos diante do que provoca esse medo que desconheço. E desconheço tão somente por julgar divertido a sensação mordaz causada pelo medo de pisar onde meus pés não alcançam nem tampouco ousam pisar. Encontro chãos diversos. Adversos. Chãos que não instalam ao menos uma gota do que sonda a secura veranil. ...os chãos que me despertam são incontáveis. Porque contar é incorrer à crueldade de delimitar coisas em números. Por isso, contar me cansa, sobretudo no momento em que os números retiram de mim qualquer possibilidade de errar a quantia. Toda quantia traz em sim a importância de valores. E eu apenas me valho dos valores dos lugares que desconheço. Desconheço tão somente por não poder odiar nem amar os chãos que piso, as Almas que procuro, os corações que escavo.

Comments:
Fico me perguntando se não são estes - os diversos e adversos - os melhores chãos que alguém possa querer. Mas de uma coisa tenho certeza: este texto intimista está uma maravilha. De deixar no ar aquela pergunta: pq não fui eu quem escreveu?
Beijocas
 
Perefito texto, talvez eu busque a mesma coisa e não me dou conta rs

Beijo
 
Ótimo texto!! O único problema de ser tão bom o texto é não ter muito o que comentar, suas palavas que indagam também respondem, não há o que complementar. Parabéns!!
P.S.: legal saber que você conhece Legião Urbana!!
 
Ótimo texto!! O único problema de ser tão bom o texto é não ter muito o que comentar, suas palavas que indagam também respondem, não há o que complementar. Parabéns!!
P.S.: legal saber que você conhece Legião Urbana!!
 
Sempre bom vir aqui e me perder entre as tuas palavras.
Nos chãos que já busquei.
:d
beijo!
 
...

é difícil contar os números sem o medo de errar...
sinto medo de contar...
dói saber dos números...
um abraço eum sorriso!
 
Às vezes é tão difícil encontrar nossos chãos...
 
eis uma linda prosa
e quantos chãos eu precisarei encontrar?
e quanto ainda hei de cavar?
para me firmar nesse mundo que não parece ser meu veradeiro endereço...


adorei o post!

ótima semana

"Liberdade é palavra que o sonho humano alimenta não há ninguém que explique e ninguém que não enteda".
(Cecília Meireles)

Bjos da -=Þëqµëñä Þö놡zä=- !!!
 
olha gostei mt e é dificil eu gostar de algo.. esa alusão aos "chaos" ficou perfeita ..intrigante e ao mesmo tempo elucidante..mt bom...abraço

http://noelevador.zip.net
http://vidacretina.zip.net
 
é verdade... às vezes desbravar a nós mesmos é o maior abismo, já diria Clarice Lispector... valeu pela visita ao blog. volte sempre!
 
Eii wagner tentei comentar no primeiro post mas n consegui.
Seguinte adoro Dostoiévsky, li muito sobre ele na faculdade , ams ainda o persigo rsrs, ja havia lido sobre o que escreveu sobre Atras das grades..adorei....Parabens
Ofereço a vc o award do lua em poemas e do meu site Poetisa das Minas gerais..Link abaixo.O convido a participar do destaques em meu blog ...
bjs e bom dia

http://poetisadasminasgerais.50webs.com/
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?